• JPIC-CMF

Páscoa ou o triunfo da justiça sobre a a injustiça


A mensagem que a Páscoa, principal festa cristã, transmite para a humanidade é, sem dúvida, a da esperança do triunfo da justiça sobre a injustiça, do bem sobre o mal, e consequentemente, um apelo a continuar lutando pelo bem, pela justiça e pela paz.


De origem judaica, a Páscoa, é antes de tudo a recordação da libertação, após mais de 400 anos de escravidão no Egito, do povo judeu

pela luta de Moisés e de seus companheiros, com a benção divina. Porém, com o advento do Cristo, a Páscoa ganha outro significado: é a festa da vitória da graça sobre o pecado, do amor sobre o ódio, da vida sobre a morte: é a celebração da ressurreição de Jesus.


Para os seguidores de Jesus, a Páscoa é o memorial da morte e ressureição de Jesus, o nazareno, que passou a sua vida terrena, fa-

zendo o bem, mas, foi rejeitado pelas lideranças políticas e religiosas da sua época.


Numa paródia de processo, foi condenado à morte e assassinado na cruz. Mas, conforme narra a bíblia, a justiça de Deus triunfou. Jesus ressuscitou: “por que procurais Aquele que vive dentre os mortos? Ele não está aqui, ressuscitou” ( Lc 24,5-6 ).


Se as noticias que recebemos das mídias ou lemos na internet parecem indicar para o triunfo do mal sobre o bem, da injustiça sobre a justiça, e tendem a nos desanimar na nossa luta por justiça e paz, a celebração

da Páscoa quer nos recordar em que está fundamentada a nossa luta pela justiça: a esperança do triunfo da justiça e do bem, inaugurada pela ressureição de Jesus, portanto que não há motivo para ficar com medo. “Não tenhais medo” diz Cristo ressuscitado aos seus.


Ao pregarem Jesus na cruz, as autoridades da sua época achavam que a sua ganância tinha triunfado sobre a Boa Nova da justiça para os oprimidos e da libertação para os cativos do Cristo.




Ao ressuscitar o seu Cristo entre os mortos, Deus como fez para com o povo judeu mostra de que lado Ele está: o lado dos injustiçados.


Assim, celebrar a Páscoa é se colocar do lado dos oprimidos na esperança de que a justiça e amor triunfarão. É essa esperança que anima a Igreja há mais de 2000 anos na sua luta pela justiça e pela paz, denunciando as ganâncias dos poderosos.


Revigorados por esta esperança pascoal, vivamos sem medo de lutar por um mundo melhor, lutando por justiça e paz, onde estivermos. Amém!


Mbaidiguim Djikoldigam

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Neste domingo (26/06), é celebrado o Dia Internacional de luta contra a tortura. A data foi criada em 1997 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e tem como objetivo combater práticas de tortura e t