• JPIC-CMF

A república ou o regime do bem comum

A Proclamação da República do Brasil aconteceu no 15 de novembro de 1889. Resultado de um levante militar político-

militar que deu início à República Federativa Presidencialista. Mas, para além dos acontecimentos que levaram a declaração do Brasil como República, nos interessa aqui, a palavra República associada a Brasil.


A república, ao contrário do que se pensa, ou ainda ensinado nas escolas, não é o contrário da monarquia, mas remete à ideia do bem comum, da coisa pública. Com efeito do Latim, Res publica, a palavra pode ser traduzida por coisa pública ou ainda assunto público. Neste sentido, afirmar que o Brasil é república é dizer que o Brasil é um Estado em que a busca do bem comum deve ser a prioridade máxima. Em outro termo, a procura pelo bem comum deve ser o motivo principal da existência do Brasil como Estado. O Brasil, ao se tornar república, decidiu fazer do bem comum o critério

principal ao torno de qual toda a vida do corpo político deve ser organizada. As tomadas de decisões e ações a serem realizadas pelo Estado brasileiro não devem ter objetivo que o bem dos cidadãos. Mas o que dizer desta proclamação 132 anos

depois?


Infelizmente, 132 anos depois, a constatação é que o Brasil está longe de ser uma República. Porque o bem comum, objetivo principal da existência de uma República, não é prioridade do Estado brasileiro. Pois vivemos ainda numa sociedade tão egoísta, em que se prega, o tempo todo, o interesse particular na economia e a afirmação de si nas relações com os outros; vivemos num país em que os cidadãos eleitos para trabalhar em prol do bem comum, aproveitam dos seus cargos para defender os seus interesses particulares e os dos seus familiares.


A comemoração desta data é, portanto,

uma oportunidade que temos de nos avaliarmos como cidadão e sociedade, de recordarmos que ser republicano é “ser intensamente ético” pois como afirma Renato Janine Ribeiro: “a república é o regime da ética na política” ( JANINE RIBEIRO, RENATO, A república. São Paulo: Publifolha, 2001).


Mbaidiguim Djikoldigam, Somi-JPIC Brasil


8 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Neste domingo (26/06), é celebrado o Dia Internacional de luta contra a tortura. A data foi criada em 1997 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e tem como objetivo combater práticas de tortura e t